*** BUCHARA ***

*** É INSUSTENTAVEL A LEVEZA DO AMOR ***

Textos


            COMO ESQUECER UM GRANDE AMOR?
 
Dentre os e-mail's que recebo um me chamou, particularmente, a atenção: “Bruxo, o grande amor da minha vida foi embora. Deixou saudade, solidão, e um lenço impregnado com o perfume que usava. Como faço para esquecê-lo? – Snow”...
Que chato. Minha amiga quer esquecer um grande amor...
Não é fácil. No entanto, felizmente, eu conheço uma “RECEITA INFALÍVEL”. Qualquer mulher que estiver padecendo do mesmo mal, se sentindo abandonada, pode seguir as mesmas instruções. O remédio é simples e a receita é genérica. É um ritual que deve ser realizado, de preferência, em um final de tarde. Antes do sol se por...
Primeiro, pegue um pedaço quadrado de cartolina branca. Com letras maiúsculas, graúdas, escreva o nome daquele que lhe abandonou. Depois, pegue uma taça – de preferência de cristal e sirva-se de uma generosa dose de vinho branco, frisante e suave. Até o meio basta. Bem gelado. Vista uma roupa confortável. Vá para sua sala de visitas, aninhe-se confortavelmente no sofá. Sinta-se como se a qualquer momento o cara que você ainda ama (mas quer esquecer) vai chegar. Pense que está esperando por ele...
Agora, queime a cartolina contendo o nome que você escreveu. Deixe que ela pegue fogo, bem devagar, inteirinha. Quando a chama se apagar, espalhe as cinzas que sobraram pelo chão. Aos seus pés. Sobre elas, de novo, escreva o nome que precisa esquecer...
Relaxe. Pegue a taça. Sorva um generoso gole. Feche bem seus olhos. Por um segundo, não engula. Faça a bebida passear no céu de sua boca. Deixe as bolhinhas estourarem. Daí, comece a pensar fixamente em quem você precisa esquecer. Enquanto isso pegue o lenço perfumado, ou qualquer outro objeto que ele tenha tocado. Imagine estar sentindo ele exalar (de novo) aquele “cheiro” que você sempre adorou. Aspire profundamente. Impossível será não começar a sentir saudades...
Neste instante você estará atingindo o clímax de sua solidão...
Um nó se formará em sua garganta. Você terá ganas de chorar. Se conseguir, chore. De verdade. Sem se envergonhar. Sem censuras. Faça suas lágrimas rolarem para dentro da taça. Rogue mentalmente que elas se misturem com o vinho. Peça que absorvam a tristeza, a saudade, a solidão, sentimentos que a estão maltratando. Faça isso até que elas parem de cair...
Quando parar de chorar, você se sentirá aliviada. Com a ponta dos pés, desmanche o nome desenhado nas cinzas. É fatal. Uma estranha sensação, um calafrio, um intenso arrepio, irá nascer em sua espinha. Percorrerá todo seu corpo. Esta é a hora. A hora exata. O começo de sua libertação...
Feche os olhos como se fosse fazer uma oração. Pegue a taça. Beba tudo. De um gole só. Deseje com todas as forças que aquela ingrata paixão seja riscada, definitivamente, de seu coração...
Agora acabou. Arremesse a taça vazia contra a parede. É o seu passado sendo destruído. Junte o lenço perfumado (ou aquele outro objeto que ele tenha tocado) com as cinzas que ficaram no chão e embrulhe com os cacos de cristais. Para o lixo com seus pedaços. Agora, sim. Está feito. Você acaba de se libertar...
Um sorriso vai brotar espontaneamente em seus lábios. Um sorriso bem largo. Um sorriso de triunfo. Respire fundo. Jogue sua cabeça para trás. Erga seus braços para os céus. Agradeça a Deus. Você está salva daquele pesadelo; daquele caso mal resolvido que humilhava sua vida...
Tire suas roupas. Fique nua. Vá para o banheiro. Tome um banho. Bem gelado. De preferência com sais perfumados. Seiva de alfazema? Se gostar. Se preferir, carregue nas essências de orquídeas. Ou de rosas. Uma mulher precisa estar sempre maliciosamente macia. Gostosamente cheirosa. Deliciosamente limpa. Calce seu melhor sapato. Vista sua melhor roupa. A mais bonita. Seu espelho – não vai lhe enganar. Vai lhe dizer o quanto você é atraente. O quanto é desejável. Lembra-se de Caetano cantando: “você é linda sim...”?
Com um sorriso (porque não de desafio?) nos lábios, abra a porta da rua. Saia...
Descubra como, lá fora, tudo é belo. Veja que coisa mais interessante. O mundo continua sendo o mesmo. Está exatamente como você o deixou no dia em que, desafortunadamente, aceitou começar aquela sua triste aventura. Nada mudou...
É isso aí, Snow. Agora você já sabe. Um grande amor pode (sim) terminar do jeitinho que começou. Sem mágoas. Sem lágrimas. Sem rancores. Sem saudades...
Quanto ao seu ex-amor, aprenda definitivamente. Se um dia você viveu muito bem e bem contente – sem tê-lo conhecido, pode continuar vivendo bem melhor e bem mais feliz – sem a presença dele...
Um beijão do Bruxo...
BUCHARA
Enviado por BUCHARA em 15/02/2007
Alterado em 11/07/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.buchara.prosaeverso.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras